Procedimentos biliares

QUAIS SÃO OS PROCEDIMENTOS BILIARES?

Drenagem biliar percutânea trans-hepática (DBPTH) é a colocação de um dreno em ductos biliares utilizando agulhas inseridas através da pele. O procedimento pode ser utilizado para tratar a colestase (quando a bile não pode fluir a partir do fígado para o intestino delgado), que pode ser um resultado de um estreitamento ou bloqueio nos canais biliares ou de um vazamento de bile após uma operação.
Implantação de stent biliar é realizada após a drenagem biliar, se a obstrução for maligna (cancerígena), para manter o canal biliar aberto e para permitir a drenagem normal da bile, permitindo a retirada do dreno. Isso envolve a colocação de um stent (tubo de malha metálica) para dentro do ducto biliar que, em seguida, funciona como um esqueleto de suporte para evitar que o ducto feche.
Extração de pedra (cálculo) biliar é realizada utilizando o acesso percutâneo para a árvore biliar (também conhecido como via biliar, caminho pelo qual a bile viaja a partir do fígado para o intestino delgado). As pedras podem ser removidas utilizando um pequeno cesto ou com um dispositivo de preensão. Pedras pequenas e médias podem ser empurradas para o intestino delgado por meio de um pequeno balão. Se as pedras são maiores do que 5 mm, um pequeno balão é utilizado para dilatar a entrada para o intestino delgado.

COMO O PROCESSO FUNCIONA?

A perfuração do canal biliar é geralmente realizada sob anestesia local e sedação, embora, em casos raros e dependendo da condição subjacente do paciente e a idade, o procedimento possa ser realizado sob anestesia geral.
Você receberá antibióticos previamente para prevenir a infecção. O procedimento será realizado em uma sala estéril, enquanto você se deita de costas. O radiologista intervencionista realizará o procedimento sob orientação de raios-X (embora, às vezes, o ultrassom possa ser usado), além de fluoroscopia para confirmar a direção para a punção.
radiologista intervencionista vai passar uma pequena agulha através da pele em seu lobo direito, esquerdo ou nos dois lobos do fígado. Se ele punciona o lobo direito do fígado, o dreno passará entre suas costelas; se for no lobo esquerdo do fígado, o radiologista intervencionista vai fazer o ponto de entrada abaixo da ponta do seu esterno.
Com a agulha inserida, o radiologista intervencionista gentilmente injeta o agente de contraste, uma substância que torna a via biliar visível sob fluoroscopia. Isso permite que, quando a agulha penetra no ducto biliar, a estrutura tubular seja claramente identificável sob imaginologia. O intervencionista, em seguida, insere um fio-guia no canal biliar, o qual é seguido por um cateter. O fio-guia e o cateter são usados em conjunto para mover além do bloqueio e atingir o intestino.
Em seguida, o intervencionista irá dilatar o ponto de obstrução de modo que o cateter de drenagem (dreno) possa ser implantado. Um cateter de drenagem tem vários furos no seu trajeto, que são utilizados para drenar a bile em duas direções: para o exterior, para um saco, e para o interior do intestino. A bolsa será conectada ao dreno, fixada à pele e deixada no local por alguns dias, até que o trato biliar seja descomprimido.

POR QUE FAZER ISSO?

A drenagem biliar percutânea é uma alternativa segura e eficaz para tratar as obstruções biliares. Ela pode ser usada para descomprimir os ductos biliares se eles são bloqueados por uma lesão (tumor) ou uma pedra, ou também para preencher um buraco se tiver vazamento de bile.

QUAIS SÃO OS RISCOS?

Uma das complicações mais comuns é o sangramento no trato biliar, geralmente a partir de uma veia. Isso normalmente não precisa de tratamento, pois ele cura por si só. Uma complicação menos frequente é hemorragia grave, que requer uma infusão de sangue ou outras intervenções, tais como cirurgia ou embolização dos vasos.
Se você tem uma infecção das vias biliares, o procedimento de drenagem pode causar febre, calafrios e septicemia. Outro risco é a possibilidade de que as áreas em torno da via biliar sejam perfuradas durante o processo, tais como a vesícula biliar ou o intestino.