Sociedade Brasileira de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular

Ablação percutânea de tumor


 

O que é ablação percutânea de tumor?

Ablação percutânea do tumor refere-se a uma variedade de técnicas que destroem tecidos tumorais por meio de agulhas inseridas através da pele. Algumas técnicas usam agentes químicos (tais como álcool absoluto); enquanto outras usam agentes físicos, que podem ser térmicos (calor e frio) ou não térmicos. Técnicas de ablação térmica permitem destruir tumores, utilizando diferentes tipos de tecnologias para congelar o tumor (crioablação) ou para cozinhá-lo, tais como ablação por radiofrequência, ablação a laser, ablação por micro-ondas e ultrassom focado de alta intensidade (HIFU).
Técnicas de ablação não térmicas utilizam outras fontes de energia para alcançar a destruição do tumor. Coblation usa um campo elétrico de plasma que promove a desintegração do tecido por ruptura das ligações entre as moléculas que compõem o tecido do tumor. Eletroporação irreversível utiliza choques elétricos de alta tensão para perfurar as membranas celulares e causar morte celular.
 

Como esse processo funciona?

O processo é feito utilizando orientação de imagem, como ultrassom, tomografia computadorizada ou ressonância magnética, para controlar a inserção dos dispositivos e a aplicação de energia. Você será anestesiado para o procedimento. Para a maioria dos procedimentos de ablação, o radiologista intervencionista inserirá uma ou mais agulhas em seu tumor para aplicar o agente químico ou energia física.
 

Por que fazer isso?

O objetivo da ablação do tumor é destruí-lo sem o uso de cirurgia. Esse procedimento só pode ser realizado dependendo do tamanho e da localização do tumor, bem como da sua situação clínica.
 

Quais são os riscos?

A inserção da agulha pode causar sangramento ou punção em órgãos vizinhos. Outro risco é a fuga acidental do agente químico ou a aplicação não controlada de energia, o que pode causar sérios danos aos tecidos circundantes.